Playlist #2

E como diz o ditado “Quem é vivo sempre aparece“, eu apareci rs! Como hoje é sexta resolvi fazer uma playlist do que mais tenho escutado nos últimos meses para dar uma animada! Então, segue o post!!

#1-Fresno, o ar

#2-Fresno, poeira estelar 

#3-Fresno, abrace sua sombra 

#4-  John Mayer, who you love 

#5- Charlie Puth, we don’t talk anymore

#6- Selena Gomez, hands to myself 

#7-Mar aberto, se fosse tão fácil 

Não perca nenhuma playlist, é só clicar no link e ficar por dentro do que estou ouvindo!

Anúncios

4 meses

Os últimos meses foram de descobertas, de quem sou, do que gosto, se estou feliz e o que realmente quero.Confesso que até agora eu não tenho nada de concreto, mas tenho algo construído ou pelo menos iniciado.
Os últimos meses foram corridos, pesados e sofridos.Achei que não conseguiria chegar até hoje sem uma ferida exposta em todas as minhas questões psicológicas.
Os últimos meses me mostraram que é preciso ser muito forte para levantar todo dia e dar a cara a bater para esse mundão.Eu não tive tempo, escudo, ou algum artifício que me ajudasse a ser mais forte.
Nesses últimos meses eu me reconstrui, quebrei ideias fixas que pensava ser o melhor para mim, fui para outros caminhos, me reiventei.
Eu aprendi que ainda não sou inteira e nem completa, que ainda faltam muitos pedaços e partes para moldar.
Não estou dizendo que estou completa e refeita, muito pelo contrário, estou me redescobrindo, me redesenhando.
Os últimos meses me deixam concluir que foi preciso mudar para crescer e me adaptar ao Mundo dos adultos.

Mais do mesmo

Ter um blog é muito complicado.

Sim, esse posto começará com uma frase, porque é ela que resume tudo o que sinto no momento.Sabe quando você acha que não escreve bem? que tudo o que você já postou está ruim? que você não presta para escrever e deveria mudar de profissão? então, esse é o ponto.

Todos os dias eu me sinto mais “burra” vamos dizer assim, porque acho que não sei fazer nada direito, porque leio que escrevo e acho que está extremamente ruim e não tem ninguém para dar um apoio moral e/opinar, então a gente faz o quê? respira fundo e tenta seguir em frente ignorando esse fato.

O ruim de ter um blog é não se encontrar, não saber se as pessoas gostam daquilo que você escreve ou se é só mais um blog “mais do mesmo”, mas o que é mais do mesmo? Mais do mesmo seria algo que já tem aos montes e ai a gente cria mais uma coisa igual a tudo que já tem e fica por isso mesmo, sempre uma competição de quem faz melhor ou whatever.

A pior parte da escrita é sempre o feedback ou a falta dele, afinal nunca sabemos onde está bom ou o que precisa melhorar, sobre o que falar a gente sempre tem, mas como falar? qual a melhor forma de fazer um texto excelente? aquele que você imaginou por dias e mais dias e no fim saiu ruim que só?

A matemática não é complicada, ela é muito fácil em comparação aos que os escritores passam, imagine só, sentar sem uma fórmula, com uma página todo em branco e ficar lá por horas sem saber como começar, que título dar, que frases grifar e com que fim impactar.

Escrever é arte, é coração, é o sangue pulsando nas nossas veias e não é nada fácil, não mesmo, só quem escreve sabe o quanto é difícil buscar inspiração todo dia, deixar escapar aquela palavra que seria perfeita e apagar os mil caracteres que foram escritos por achar que tá tão ruim que nem a pessoa mais infeliz merece ler.

No final escrever é amar e só quem transborda consegue(em algum momento da vida) se encontrar e emocionar.

Causa secreta//resenha #6

COMUNICADO: No mês passado não consegui fazer a resenha do mês por motivos de tempo e também por não entender muito bem o conto em si, mas prometo que se der em outra hora farei a resenha do conto do mês de Março.Lembrando que o início do projeto, o planejamento e as resenhas dos meses anteriores já estão disponíveis no blog!

Breve resumo do conto: Em 3ª pessoa, o narrador onisciente constitui uma notável caracterização psicológica em que revela, ao fazer o estudo do personagem Fortunato, o ápice do prazer que é conseguido na contemplação da desgraça alheia. O motivo do conto é explicar o verdadeiro sentido do termo “sadismo”. Conta a estória de dois homens que, após um salvar a vida do outro e passar-se algum tempo, tornam-se sócios. Mas pouco a pouco um deles vai demonstrando tendências sádicas, torturando animais, fato que atordoa a esposa. Quando ela morre, Fortunato, o sádico, presencia o amigo beijar a testa da mulher e derreter-se em choro, saboreando o momento de dor do amigo que lhe traía. Créditos: http://www.passeiweb.com/estudos/livros/a_causa_secreta_conto

Opinião: Causa secreta é um dos contos mais fortes que li até agora, ele mostra um problema que vem sido discutido na sociedade  por causa do filme 50 tons de cinza o “sadismo”, mas diferente do filme, o personagem não é sádico sexualmente e sim com as pessoas com quem convive, ele gosta de ajudar, mas para ver sofrer, para ficar mais claro darei um exemplo tosco, se eu machuco meu pé na rua e ele começa a doer muito, esse personagem viria a meu encontro, teria prazer me ajudar, mas se satisfaria com o meu sofrimento, esse é o ponto do livro.É um conto que te faz pensar se você não tem esse tipo de pessoa ao seu redor, é muito impossível saber eu diria, porque normalmente quem é sádico esconde.De linguagem fácil e envolvente Machado mais uma vez proporciona uma leitura agradável e prova que ninguém supera sua mente genial e até mesmo astuciosa.

NOTA: 5/5 

Observação: Nos próximos meses estarei tentando fazer resenhas com um novo formato já que não me acho nada boa nisso, então para facilitar colocarei sinopses mais detalhadas que não confundam a cabeça de ninguém e continuarei com minha opinião, afinal se trata de resenha e com a nota que atribuo ao que foi lido!

 

 

 

13 reasons why: Resenha

Anteriormente fiz um post falando sobre As melhores músicas da trilha sonora de 13 reasons why, agora é hora de falar o que achei da série.

Antes de começar a falar sobre a série, é importante salientar que ela foi baseada no livro de Jay Asher, esse livro é bem “antigo” eu o li quando estava no ensino fundamental e hoje já estou no superior, na época eu tinha gostado do livro, apesar de ele não ser o livro da minha vida e nem o tipo de  livro que deixa marcas profundas na alma.

13 reasons why ou Os treze porque’s conta a história da Hannah Baker, a Hannah se suicidou e deixou 13 fitas, nelas estão contidos os motivos pelo qual ela decidiu tirar a própria vida, esses motivos vão desde amizades rompidas, bullying e até estupro, cada motivo dessas fitas são pessoas e cada pessoa tem sua fita, de uma forma geral é isso.

A série é boa, isso não posso negar, eles souberam fazer algo forte, talvez até mais forte que o próprio livro, o que é muito bom, eu gostei da trilha sonora, da fotografia e dos personagens, mas mesmo gostando de tudo isso, a série também não conseguiu deixar marcas profundas na minha alma, pois não é o tipo de série que gosto e o tema é deveras complicado para ser tão exposto assim.

A gente sabe bem que tudo que faz sucesso vira moda entre os jovens e infelizmente essa série virou, a moda agora é o suicídio, depois quando terminei a série e parei para refletir, foi que vi que por mais que tenha sido uma cena forte o suicídio da Hannah, ele foi meio que romantizado se é que posso dizer assim e isso deve ter chamado a atenção dos jovens e por isso estamos passando por essa onda de suicídio no Brasil e no mundo.

A série não deve de nenhuma forma ser proibida, afinal todo mundo sabe que a partir do momento que se proíbe algo é que as pessoas vão atrás mesmo, a série deve sim ser mostrada e exposta e o suicídio deve ser discutido, mas não na forma de moda e sim na forma de último caso para as pessoas que sofrem com depressão.

A vida por mais difícil que parece deve ser incentivada.

 

NOTA: 3,9/5

13 reasons why: Melhores músicas

Oi, gente!

Que 13 seasons why está sendo um sucesso todo mundo sabe, mas vocês sabem quais são as melhores músicas de toda a trilha sonora?! Então continua lendo esse post que vou te contar.

1- Mess is mine- Vance 

2-The only boy awake-Meadows

3-Into the black-Chromatics 

4-Young & unafraid- The Moth & The Flame

5- The night we met- Lord Huron 

6-Only you-Selena Gomez 

Lido/lendo

Oi, gente!

Então, eu pretendia fazer esse post no fim do ano para poder colocar todos os livros que li no decorrer do ano de uma vez, mas como estou ansiosa para mostrar logo o que li, o que estou lendo e o que pretendo resenhar, resolvi acabar com a agonia e fazer o post agora.

Os livros listados abaixo li do mês de fevereiro até agora(abril) e os outros estão em andamento ainda.

Lidos! 

1-Cem anos de solidão-Gabriel Garcia Márquez. 5/5 ~tem resenha sobre o livro no blog~

2-Jane Eyre- Charlotte Bronte. 1/5 

3-A regra do jogo– Claudio Abramo. 5/5 ~tem post sobre ele no blog~

4-Frankenstein– Mary Shelley. 5/5 ~tem resenha sobre o livro no blog~

5-Os sofrimentos do jovem Werther- Johan Wolfgang V. Goethe 2/5 

6-O clube mefisto- Tess Gerritsen. 5/5 

7-Osho: Crença, dúvida e fanatismo- Osho. 3,5/5 

 

Lendo! 

A garota no trem- Paula Hawkins LIDO

Anotações sobre o azul- Karine Kelly  

 

 

3 livros 3 semestres

Acho que contei algumas vezes que faço jornalismo, então hoje, vim recomendar alguns livros da área que me marcaram muito e que (não todo mundo) mas um grande número de pessoas deveriam ler para entender que ser jornalista não é tão simples assim.

1- A regra do Jogo, Cláudio Abramo 

th

Sinopse: Cláudio Abramo, um dos maiores jornalistas que o Brasil já teve, responsável pela modernização dos jornais Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo, conta episódios de sua maior paixão, o jornalismo, e mostra a regra do jogo.

NOTA:5/5

2-A arte de fazer um jornal diário, Ricardo Noblat 

973029

Sinopse:Este livro é uma tribuna na qual Ricardo Noblat faz uma defesa empenhada do jornalismo responsável e realmente informativo. A leitura de A leitura de A arte de fazer um jornal diário é tão indispensável quanto a dos cadernos de política ou de atualidades, e tão prazerosa quanto a da seção de quadrinhos dos jornais. Verdadeira aula para jornalistas e aspirantes a jornalistas este texto preciso, leve e bem-humorado é recomendado tanto para estudantes de comunicação quanto para os demais leitores que buscam livros bem concebidos e instigantes.

NOTA: 5/5

3-A arte da entrevista 

bibliografia-a-arte-da-entrevista

Sinopse:Esta obra reúne 48 textos clássicos da história do jornalismo, de 1823 a 2000, em uma antologia organizada pelo jornalista Fábio Altman, com desenhos de Cássio Loredano. Este livro traz – do outro lado do bloco de anotações, de gravador, ou do chat online – Freud, Marx, Oscar Wilde, Hitler, Drummond, Lula, Hitchcock, Hemingway, Fidel Castro, Tolstoi, entre outras figuras fascinantes, expondo (ou escondendo) suas idéias no calor dos acontecimentos.

NOTA:4,5/5

Filmes do mês// março 2017

Eu gostaria de começar esse post dizendo que esse mês foi bem fraco(pelo menos na minha opinião) em questão de filmes, primeiro que assisti pouca coisa e maioria delas não gostei, masssssss, talvez alguém goste dos filmes abaixo e o objetivo é ir fazendo esses posts sobre filme para que no final do ano, eu tenha uma noção de quanto me superei em questão de “assistir filmes”.

1-PRECISAMOS FALAR SOBRE KEVIN 

poster_precisamos-falar-sobre-o-kevin21

Vamos aos fatos, Precisamos falar sobre Kevin é um filme ok, mas não é(nem de longe) um filme pesado(pelo menos pra mim), não gostei pelo fato que esperava mais sobre o tema e ele foi abordado até que de uma forma leve, esse filme é mais uma questão de reflexão sobre o que a falta do amor de uma mãe pode fazer com um filho~pelo menos foi assim que entendi~recomendo, mas nem tanto~. NOTA:2,5/5

2-O GAROTO SELVAGEM 

garotoselvagem500

Garoto Selvagem foi um filme obrigatório para minha matéria sobre linguagem, eu não recomendo mesmo esse filme, a não ser que você goste de filmes antigos e que falem sobre linguagem.É uma história bem simples sobre um garoto que viveu longe da civilização e por esse motivo não desenvolveu linguagem, quando ele é achado um professor na França o ajuda a aprender a falar, mas é fracasso, basicamente essa é a história.Sem muitas emoções. NOTA:1/5

3-LOGAN 

images Logan foi o melhor filme do mês, acho que metade do mundo já o assistiu, mas eu queria parabenizar principalmente as empresas que cuidaram dos efeitos do filme, em nenhum momento você pensa~nossa, que mentira~ de tão bem feito que o filme foi, não cheguei a acompanhar todos os filmes da franquia, mas se todos forem bons iguais a esse, terei todo prazer em ‘maratonar.’ NOTA: 5/5

4-A CHEGADA

552532.jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxxA chegada foi outro filme obrigatório para minha matéria de linguagem, não gostei do filme porque acho o tema superestimado e nesse filme há muitos flashes o que não me agradou muito, achei algumas partes muito toscas e sem sentido, colocaram até o lado pessoal da professora e ficou muito confuso, a ideia do filme era boa, mas a execução estragou o filme, filme sobre alienígena é somente sobre alienígena, você não mistura tudo e reza pra dar certo.  NOTA:2/5

Frankenstein//resenha #5

Em algum momento da vida, provavelmente você já começou a ler um livro pro qual não dava nada e no final acabou se surpreendendo.Isso aconteceu comigo em Frankenstein. 

Frankenstein é uma história, muito bem escrita e elaborada, ela nos apresenta Robert Walton e Victor Frankenstein que acaba se tornando o personagem principal no decorrer da trama.Eu poderia falar sobre todo o desenrolar da história, mas vou focar na parte mais importante aquela sobre a qual originou o nome do livro.

Victor Frankenstein foi um jovem muito estudioso e curioso que queria se tornar cientista, quando ele sai de Genebra para ir a universidade, seu universo se expande e ele começa a pensar em criar coisas, um dia em seu apartamento por pura inspiração, ele cria um monstro que por acasos do destino arruinará sua vida.

O monstro ou demônio(como é chamado a criação de Vitor) é um ser humano(por mais impossível que pareça) incrível, ele é dotado de sentido e sensações, mas não de linguagem e através de terceiros ele constrói sua própria linguagem e o seu eu, é muito interessante como a autora trata essa questão.

Como todo livro, esse tem reviravoltas e diversas outras coisas que não poderei mencionar para não virar spoiler.

O enredo vai te envolvendo, não é aquele livro que logo no primeiro parágrafo te dá um choque e você quer porque quer terminar logo.

Frankenstein deixou em mim uma marca de satisfação, não cansarei de enaltecer a escrita desse livro, ela é muito boa, não sei dizer mas a Mary torna esse livro inesquecível e isso é o mais maravilhoso.Te peço que dê uma chance, que leia e veja a beleza dele, vale muito a pena, se você escreve, mudará sua forma de escrever, se você julga histórias pela capa ou título, de uma forma ou de outra parará com isso.

NOTA: 5/5